Essa coletiva apresenta trabalhos de jovens designers brasileiros e estrangeiros, a maioria deles nos seus trinta e poucos anos, que possuem como característica principal a intenção de confundir o olhar e trazer humor ao cotidiano. Utilizando materiais diversos, formas e funções distintas, essas peças ganham vida própria e tornam-se uma experiência a ser compartilhada.
Nesse cenário, as Variações Goldberg de Bach nos convida a perceber o valor de cada peça; num contexto próprio deixa claro que o design/arte ganha valor quando é trabalhado e elaborado.
É a emoção, além do objeto, que essa exposição tenta focar.